Reciclagem do PET – Mas como ocorre esse processo?

De acordo com o Censo da reciclagem de PET realizada pela ABIPET, o Brasil tem uma das indústrias mais desenvolvidas no mundo. Mas já parou para pensar como esse processo acontece? Como a garrafa PET pós-consumo é processada para que possa se tornar uma nova garrafa?

As garrafas PET são, normalmente, coletadas por catadores e destinadas às cooperativas. Esses profissionais  as separam por cor e prensam as mesmas, formando os fardos. Os fardos são então vendidos para as empresas de reciclagem.

Utilizando como exemplo o processo produtivo da CPR, uma das empresas Valgroup, os fardos chegam até a companhia e são encaminhados para a primeira etapa. Nesta primeira etapa, eles são abertos e as garrafas passam por uma lavagem para remoção de particulados finos, como areia e orgânicos. Após esse processo,  elas passam por um equipamento para remoção de contaminantes metálicos e, em seguida, rótulos e tampas são removidos. Já na fase de separação automática, as garrafas são selecionadas por tipo de polímero e por cor. Então, são enviadas para os moinhos, onde são moídas em pequenos pedaços conhecidos como flakes. Estes passam por um processo de lavagem, o qual garante que todo o resíduo e cola presente no material sejam retirados.

Os flakes limpos são então direcionados para o processo de produção da resina PET reciclada. Para que a resina seja produzida, os flakes de PET passam por um novo processo de lavagem e são enviados para as extrusoras. A etapa de extrusão realiza a filtragem de massa para a retirada de micro particulados sólidos, além de iniciar o processo de remoção dos contaminantes voláteis. Das extrusoras saem a resina amorfa. Esta passa então por um processo de polimerização em estado sólido transformando-se em uma resina cristalina e descontaminada, a qual é processada para a produção de novas garrafas.

Atualmente, a CPR conta com uma capacidade produtiva de 3.000 toneladas por mês, como existe uma perda no processo de aproximadamente 30% , a empresa necessita de 4.300 ton de sucata de PET (matéria-prima) para poder produzir as 3.000 ton de resina PCR, as quais podem ser aplicadas para uso em novas garrafas PET, no processo conhecido como bottle to bottle (“garrafa para garrafa”).

Consumindo materiais reciclados estamos contribuindo para a economia circular e para o desenvolvimento sustentável, diminuindo o descarte no planeta. Corroborando assim para um mundo mais sustentável. Sempre que for consumir um produto, busque saber se sua embalagem contém material reciclado!