Mitos e verdades sobre o plástico

O aumento da consciência ambiental tem feito com que muitas pessoas prestem mais atenção ao plástico e reduzam seu consumo, principalmente os descartáveis. Todavia, em muitos casos, o plástico é tido como o vilão da história de maneira indevida. Para que você possa entender melhor o impacto do plástico no meio ambiente, preparamos uma lista com mitos e verdades sobre o material. Acompanhe:

  • O plástico torna o produto descartável?

Mito. Os produtos que contém material plástico são mais resistentes, por isso muitas pessoas não os associam com reutilização. Ainda sim, sua reciclagem é possível e, inclusive, pode ser realizada pelos próprios fabricantes daquele produto, como é o caso da CPR, uma das empresas do Valgroup.

  • Embalagens plásticas oferecem risco de contaminação?

Mito. Os plásticos são, em sua maioria, bioquimicamente inertes, não reagem e nem se deterioram em contato com outras substâncias. Portanto, não oferecem riscos para a saúde humana ou para o ambiente quando utilizados ou reciclados.

  • Aquecer recipiente plástico no micro-ondas e acondicioná-los no freezer pode causar doenças?

Mito. A legislação em vigor no Brasil estabelece que os produtos não devem liberar, nas condições previsíveis de uso, substâncias indesejáveis, tóxicas ou contaminantes. Portanto, se a embalagem cumpre com as normas estipuladas pelos órgãos de controle sanitário, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, em nenhuma etapa do seu uso substâncias potencialmente tóxicas serão transferidas para o alimento.

  • A durabilidade é o grande problema do plástico?

Mito. A durabilidade é uma das maiores qualidades dos plásticos. Esta característica permite que o material possa ser utilizado para diversas aplicações, como para-choques de automóveis, estrutura de eletroeletrônicos e tubulações.

  • Os produtos feitos com plástico reutilizável têm qualidade inferior?

Mito. A opção pelo uso de plásticos recicláveis não determina, de maneira independente, a qualidade final do produto. Depois da coleta do material, aditivos são incorporados e, em alguns casos, matérias-primas são adicionadas para que o plástico reciclado tenha propriedades semelhantes à do plástico virgem. Ou seja, a qualidade é a mesma e ainda há uma vantagem sustentável clara: o material retorna à cadeia produtiva, podendo virar frascos para produtos de limpeza, mangueiras de jardim e fibras para carpete.

  • Materiais plásticos ajudam a salvar vidas?

Verdade. Desde a medicina até à odontologia, a inovação na saúde por meio de plásticos é rica em processos, como: obturações, implantes dentários, cateteres e muito mais. A principal vantagem do material é a segurança que o seu uso gera em tratamentos, pois é possível utilizar EPI’s e itens cirúrgicos de uso descartáveis, o que diminui drasticamente a possibilidade de contaminação a um custo competitivo.

  • Existe plástico biodegradável?

Verdade. Os biodegradáveis são aqueles materiais que sofrem compostagem por microorganismos em até 180 dias. E, sim, existem plásticos que fazem parte desse grupo! Conhecidos como bioplásticos, eles são de origem vegetal, geralmente — como o plástico de poliácido láctico (PLA), o polihidroxialcanoato (PHA), o polibutileno succinato (PBS) e as misturas de amido. E mais: há, inclusive, alguns bioplásticos de origem fóssea. Dentre eles, estão o polibutileno tereftalato adipato (PBAT) e a policaprolactona (PCL).