Os 3 princípios da economia circular

A economia circular busca redefinir a noção de crescimento, com foco em benefícios para toda a sociedade. Isto envolve dissociar a atividade econômica da lógica da extração, produção e descarte de recursos finitos. O modelo circular engloba os âmbitos econômico, ambiental e social, baseando-se em três princípios básicos:

· Eliminar resíduos e poluição desde o princípio

Estimular a efetividade do sistema revelando e excluindo suas propriedades negativas desde a etapa inicial. Pela boa gestão de recursos, extrair os riscos de poluição ambiental além de intensificar ações mantendo o círculo contínuo.

· Manter produtos e materiais em uso

Em vez de apenas extrair os recursos naturais e gerar resíduos, a produção e o consumo devem ser auto sustentáveis. Num ciclo econômico fechado, o desperdício não existe: os bens são reparados e reutilizados em vez de descartados, as matérias-primas provêm da reciclagem em vez da extração, e assim por diante.

· Regenerar sistemas naturais

Aumentar o capital natural sem degradar o meio. Quando a produção de bens e serviços tem como consequência a destruição dos ecossistemas, então é a própria vida humana que é destruída — sobretudo a das gerações futuras, às quais vai faltar esse capital natural. Para assegurar a preservação do capital natural, devemos investir em recursos renováveis e com alto desempenho, reduzindo os gastos com extração dos recursos naturais.

De acordo com o relatório da Ellen MacArthur Foundation – organização que estuda e estimula a adoção da economia circular, o conceito, nada mais é, do que uma utilização racional dos recursos naturais. Alinhado ao investimento na produção de energias renováveis, o uso em cascata dos materiais faz com que eles permaneçam o maior tempo possível na economia. E com o devido planejamento, quando um produto chegar ao fim de seu ciclo para o primeiro consumidor, ele poderá ser reciclado e reutilizado.